!-- Java PopUp inicio -->

sábado, 2 de janeiro de 2010

Célula de Produção


COMO FUNCIONA ESTA NOVIDADE

Uma resistência monstruosa a novidades em quem está envolvido em processos produtivos. Apenas para registrar, esse processo foi desenvolvido no Japão e incorporado pelos americanos. Aqui no Brasil, uma das empresas pioneiras a utilizá-lo foi a Alpargatas, no início da década de 70, quando a fabricação de calças Jeans era o seu carro chefe.Muitos profissionais, perguntam sobre célula de produção: O que é? Funciona mesmo? Dobra a minha produção? Serve para qualquer artigo a ser confeccionado? A verdade é que este sistema obtém bons resultados, mas não é a galinha dos ovos de ouro. É necessário considerar uma série de fatores para não se frustrar com uma novidade que pode até emperrar todo o sistema produtivo e criar arro-chefe. Tanto que hoje são encontrados no mercado vários "alpargatanos" que ocupam cargos de destaques em empresas e trazem consigo a grande experiência obtida lá. Mas, voltando às células de produção, qual é a diferença entre a célula e a linha convencional? Observe no comparativo abaixo: 1-Célula Maior velocidade de resposta do produto. 1-Linha Emperramento na saída do produto e formação de estoques intermediários. 2-Célula Participação no processo total do produto de todos os envolvidos na célula (integração da equipe). 2-Linha Individualismo: há dificuldade no balanceamento dos postos de trabalho. 3-Célua Melhora no controle de qualidade; o defeito é detectado e corrigido na célula. 3-Linha Perde-se tempo para identificar a origem do defeito. 4-Célula Diminuição de estoques intermediários e redução de seus custos.4-Linha Necessidade de altos estoques intermediários para que sirvam de abastecimento no dia seguinte. 5-Célula Desenvolve a polivalência do operador. 5-Linha Operador bitolado em uma máquina. 6-Célula Possibilita evolução contínua.6-Linha Inibe a criatividade Célula de Produção.
Mas, voltando às células de produção, qual é a diferença entre a célula e a linha convencional?

Note que no item 6 falamos de evolução. Não basta juntar as máquinas em forma de "U" e dizer que está sendo utilizado o sistema celular. Algumas atitudes devem ser tomadas: É preciso ter um profissional para orientar a criação de condições para que toda a fábrica assimile e se conscientize das mudanças que surgirão. Ainda é necessário facilitar o abastecimento com a formação de famílias de produtos e criar uma estrutura no corte eficiente para que se formem lotes econômicos/padrão. Avaliar o número de máquinas existentes na fábrica, seu espaço físico e tempo operacional dos produtos e selecionar operadoras polivalentes para pontos-chaves também são mudanças que devem ser implementadas. O sistema de células de produção tem sua melhor aplicação em produtos que tenham de 06 a 16 operações (não é regra) e, em produtos como lingerie, cueca, camisa pólo, macacão infantil, linha praia e alguns outros que se enquadram neste perfil. Mas, e os segmentos como camisaria, calça social e blazer? Neste caso, aconselho a utilização de postos de trabalho para um determinado número de operações, pois visualmente facilita o controle e não é preciso uma quantidade grande de máquinas especiais, por exemplo, Reece de bolso, Pregadeira de manga para paletó, Caseadeira olho, etc. Quanto a "dobrar" a produção, depende de sua eficiência atual. Se ela for muito ruim, seu número de produção pode até "triplicar". O sistema de células pode encurtar o caminho do produto na fábrica, tornando-o mais veloz e aumentando a produção. Poderíamos escrever a revista inteira sobre este assunto, pois ele é muito extenso e existem algumas particularidades regionais que tomam o conceito específico para o produto. Com o passar do tempo, vários profissionais foram encontrando rotas alternativas e ajustes aos padrões brasileiros até mesmo dando nomes diferentes, que no fim buscam o mesmo objetivo: produzir mais com mesmo efetivo e ter velocidade para atender ao cliente. Mesmo sendo uma técnica sofisticada, o Brasil está longe de ser um país pólo de confecção e formador de opinião. Há cerca de seis anos se fala em célula no Brasil e já estamos atrasados há mais de 15 anos. Imagine quando iremos falar de sobre célula sendo trabalhada por operadores em pé! Espero que em breve. O sul do país já deu início a este sistema, mesmo que timidamente.

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário