Baixe grátis - Podcast Os 5 grandes erros cometidos por confecções de roupas

domingo, 29 de maio de 2011

Alunos transformam valores, histórias e cultura da indústria e de SC em conceitos de moda

Os alunos de moda do SENAI em Blumenau, Joinville, Brusque e Jaraguá do Sul usaram e abusaram dos elementos da semiótica (disciplina que estuda signos, significantes e significados) para transformar valores, história e cultura das indústrias e do estado em um misto de tendências de moda e arte abstrata. Os trabalhos compuseram o cenário de uma festa jovem no Maria's Shows e Eventos, em Camboriú, no sábado (21), o encerramento de edição 2010-2011 do Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC). Desta vez não houve o desfile, mas exposições dos conceitos desenvolvidos pelos estudantes e pelos estilistas das empresas parceiras.

A história da empresa que surgiu nos anos de 1980, criada por um empreendedor que vendeu um fusca para adquirir as primeiras máquinas, mostrada nas estampas de tecidos que compõem uma coleção futurista. Mãos que fazem a indústria catarinense viram cenário do estande e os nomes dos filhos dos fundadores de uma camisaria se transformaram em ornamento de uma das peças. A poesia catarinense posta à mesa em jogos americanos e porta copos. Elementos da bandeira de Santa Catarina compondo o quarto de uma adolescente roqueira e transgressora do convencional. O convite aos visitantes para que brincassem com as tintas e as cores.

O fusca que, vendido, deu origem à Lancaster de Blumenau foi desmontado e estilizado nos desenhos das estampas propostas pela estudantes Thaís Hadamann e Thais Baader, do Curso Técnico de Produção de Moda de Blumenau, e pelos estilistas da empresa para uma coleção futurista, que ganha lâmpadas led e telas LCD. As peças e componentes do mais tradicional carro da Volkswagen, o símbolo de uma era, se misturam às cores vibrantes. "Olhando o passado da empresa, produzimos um conceito de moda para o futuro, uma tendência", explica Thaís Hadamann. Um painel ao fundo, composto por peças triangulares e coloridas, remontaram uma cartela de pantone, uma referência à atividade central da empresa, a estamparia.



Thais Baader (e) e Thaís Hadamann, de Blumenau, criaram estampa a partir da história de empresa da empresa (Foto: Ivonei Fazzioni)

O leitor pode imaginar que um quarto de uma adolescente transgressora das normas convencionais e roqueira pode ter de tudo, certo? Certo e errado, na visão das estudantes Aila Masson e Bruna Luiza Francisco, que concluíram o curso técnico de Produção de Moda do SENAI de Joinville. O quarto que elas propuseram para expor o conceito do tema "Bedroom Rock Festival". O ambiente ficou repleto de coisas e detalhes, mas as estudantes garantem que o processo criativo não permitia apenas adicionar elementos e sim buscar o foco. "O rock sempre teve atitude e identificamos que uma delas é o patriotismo", afirma Aila, explicando porque a dupla usou os detalhes da bandeira de Santa Catarina para compor um cenário ao lado de capas e discos de vinil e outras referências da música. Segundo Bruna, o processo de criação passa pela identificação do conceito central e a busca dos elementos que o expressem. "É preciso estar abertos às novas ideias, sempre", salienta.



Aila (e) e Bruna, de Joinville, criaram o quarto de uma adolescente roqueira (Foto: Ivonei Fazzioni)

Quando fazem a matrícula, dez em cada dez estudantes de moda pensam apenas nas roupas que vão aprender a desenhar. E às vezes encontram um desafio como criar moda para acessórios de mesa, como os porta copos ou os jogos americanos. Foi o que ocorreu com Fabiana Caetano e Marco Aurélio Ferrari, do Curso de Técnico de Design de Moda do SENAI de Brusque. No SCMC eles desenvolveram um projeto em parceria com a empresa Copa & Cia, de Blumenau e que lança duas coleções por ano. A poesia de Lindolf Bell, de Timbó, virou estampa, as letras, matéria-prima do autor, foram parar na parede e linhas pretas representam a tinta (outra matéria-prima de quem escreve). Foi dessa forma que Fabiana e Marco Aurélio mostraram o "Jantar na casa do poeta". "A gente consegue abrir a mente para coisas que a gente não via antes; A arte da moda pode ser aplicada em vários outros setores", afirma Marco Aurélio, que, a exemplo de Fabiana, constatou que seu campo de atuação profissional é muito maior do que imaginava.



Marco Aurélio e Fabiana, de Brusque, se inspiraram na poesia de Lindolf Bell (Foto: Ivonei Fazzioni)

Lara Gascho e Paula Fragoso, do Curso Técnico de Design de Moda do SENAI em Jaraguá do Sul, também se inspiraram na história da empresa parceira para construir sua exposição. Os valores da Dudalina se transformaram em ornamentos, aplicados com a técnica patchwork, nas camisas. Um desses valores, tanto que é destacado no site da empresa, é o respeito à família e, estilizados, os nomes dos 16 filhos de Duda e Adelina Hess de Souza, os fundadores da camisaria, compõem uma das peças. Um segundo ambiente do estande também resgata a história. As mãos que constroem a manufatura catarinense tomam o cenário de um ambiente ampliado com o jogo de espelhos.



Lara (e) e Paula, de Jaraguá do Sul, fizeram referência às mãos que constroem a indústria de SC (Foto: Ivonei Fazzioni)

Também do Curso Técnico de Produção de Moda do SENAI de Blumenau, Débora Faustino e Ana Paula Hames, em parceria com a Tecnoblu, propuseram um ambiente que unisse design, moda e sustentabilidade. A proposta foi usar descartes de madeira para produzir carimbos com ícones das inscrições rupestres catarinenses. O estande foi transformado ao longo da noite pelos visitantes, que puderam utilizar tintas (atóxicas e à base de água) que refletiam o neon para escrever e pintar suas próprias roupas. A demonstração "Print Yourself" também criou um ambiente futurista, numa noite em que a criatividade de estudantes e estilistas foi expressa no seu extremo.



Ana Paula Hames (e) e Débora Faustino, de Blumenau, reuniram design, moda e sustentabilidade (Foto: Ivonei Fazzioni)
Fonte:|midiamoda.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário