Baixe grátis - Podcast Os 5 grandes erros cometidos por confecções de roupas

sábado, 28 de maio de 2011

A moda brasileira olha para o Rio de Janeiro

O Senac Rio Fashion Business chega em sua 18ª edição com êxito absoluto. O evento, que teve início na segunda-feira à noite (23), na Marina da Glória, tem características única no planeta, pois reúne num único lugar uma bem sucedida rodada de negócios e uma passarela para desfiles de coleções com a presença garantida dos principais jornalistas de moda do país. “Só o Rio de Janeiro consegue realizar um evento desses, pois, sabemos que não é fácil transformar os lançamentos de passarelas numa proposta comercial”, comentou Adélia Lopes, jornalista paraense, que acompanha as semanas de moda brasileiras desde o início. Adélia foi mais além: “Eloysa Simão é uma guerreira, sua rodada de negócios do Fashion Business movimenta milhões, e todos as marcas envolvidas acabam fazendo bons negócios.

O Senac Rio Fashion Business acontece numa estrutura armada na Marina da Glória, onde num primeiro espaço abriga-se mais de 300 marcas — cada uma se instala num stand para exibir suas coleções, atender clientes e programar compras. Nesse espaço, também, destaca-se o projeto “Natal Pensando Moda”, do Sebrae/SENAI Rio Grande do Norte.

“Começamos a participar do Fashion Business há três anos e desde então o nosso projeto só cresce. No começo, entramos timidamente e mesmo assim nossas marcas conseguiram êxito. Hoje o nosso stand é concorridíssimo e visitado por compradores do país inteiro. Todos á procura dos lançamentos da moda potiguar. Isso é muito gratificante”, afirmou Verõnica Melo, gestora de moda do Sebrae RN.



O estilista Wagner Kallieno participa pela primeira vez do Fashion Business. Ele é um dos nomes da moda potiguar no projeto “Natal Pensando Moda” dirigido por Ronaldo Fraga. “Participo de outros show roons fora esse, mas confesso está bastante empolgado com minha estréia no FB. Investi muito na minha coleção e só no primeiro dia conquistei novos pontos de venda. Aqui, também é ótimo para contatos com produtores de revistas e televisão, inclusive, peças minhas estarão em grandes publicações nacionais”, anima-se Kallieno.

Outra marca conterrânea que estréia no evento é a Nova Bossa, de Marília Andrade, que também festeja o sucesso de sua marca no evento. “Estava muito ansiosa. Mas, agora já relaxei, fiz ótimos contatos e inclusive consegui emplacar alguns looks de minha coleção na próxima novela das setes da Rede Globo”.

Das marcas nacionais mais conhecidas, destaca-se os espaços de Victor Dzenk, Carlos Miele, Lucidez, Patrícia Vieira, levi’s, Botswana, Bárbara Bela, Vivaz, Ranata Campos para Squadro e Afghan. Todos cheíssimos de clientes e uns até com fila para atendimento. “Estamos no Fashion Business desde o início em 2033. Nossa marca cresceu com o evento. Só tenho alegrias”, disse o badalado estilista Victor Dzenk.

Os desfiles norteiam a crítica especializada na primeira noite. Duas grifes dividiram a cena nos salões do Copacabana Palace: Patrícia Vieira e Carlos Miele. A primeira, com trabalhos maravilhosos em couro, mostrou uma moda com inspiração flamenca e lançando, a internacionalíssima Andrea Delal – irmã da estilista Patrícia Vieira – como diretora criativa da marca. Carlos Miele jogou na passarela sua coleção jeans, masculina e noite, tudo com foco nos anos 70.

Na terça-feira, os desfiles começaram cedo na Marina da Glória com a marca Maria Filó, que fez sua estreia na passarela com uma coleção romântica com muita seda, tecidos plissados - fortes candidatos a hit da estação.

Fonte:tribunadonorte.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário